Arteterapia




O que é arteterapia?



A arteterapia com abordagem junguiana é uma manifestação da subjetividade, ou seja, da psique, através das expressões artísticas ou expressivas. Ela reúne recursos expressivos e criativos sob o olhar da psicologia junguiana, onde a criatividade é uma função estruturante da psique e onde o simbólico é um principio integrador de opostos. É por meio de sua criação, que o indivíduo cria um canal comunicativo com sua psique, reconhecendo e descobrindo nela novas facetas. A representação artística é simbólica, ela expressa conteúdos internos que emergem, trazendo à luz da consciência aquilo que estava invisível aos olhos. Assim, “a arte introduz na arteterapia arquétipos capazes de condensar, numa imagem, a intensidade simbólica e a tensão passional das situações dramáticas e dos estados afetivos” (PAÍN, 2009, p. 191). Dessa maneira, diversas linguagens expressivas e artísticas, como: artes plásticas, visuais, teatro, dança, expressão corporal, poesia, contação de histórias, bem como a escrita criativa, tornam-se agentes facilitadores da expressão simbólica do indivíduo.





Diálogo entre a Arte-educação e Arteterapia com Deficientes Visuais



Há cerca de três anos desenvolvo um trabalho com pessoas com deficiência visual no Laramara atuando como arte-educadora de Dança e Expressão Corporal. 
Todo o processo que é desenvolvido é baseado na arte-educação, porém com um olhar na subjetividade e na criatividade do sujeito articulando não apenas o entendimento racionalizado e crítico, mas trazendo a "afetividade" como elemento norteador da criação. 
Neste ano trabalhamos com a temática sobre a Natureza (tema sugerido pela coordenação). Conversamos sobre a dimensão do tema e sobre os problemas enfrentados ultimamente. Falamos sobre a questão do consumo, do lixo e a questão da água; pesquisamos sobre a artista da dança "Isadora Duncan" e sua relação com a natureza e como está influenciou seu trabalho, até chegarmos a diversidade cultural dos povos quando começamos a pesquisar músicas. Nos deparamos com preconceitos quando trazemos populações que possuem olhar diferenciado frente ao tema, como exemplo os indígenas. 
Fomos percorrendo caminhos levados por dinâmicas que propiciaram uma reflexão sobre o respeito e a tolerância, até finalmente chegarmos na "natureza do ser"- a dimensão subjetiva de cada aluno. Neste trabalho foram confeccionadas peças em argilas,  que serviram como recurso para pesquisa de movimentos, fazendo parte da coreografia.

A seguir um pouco da fala de uma das alunas sobre como foi a pesquisa e o vídeo da coreografia completa com audiodescrição:









Vivência  Arteterapêutica: 

Dança e Arteterapia - Despertando a Sacralidade Feminina



Próximo encontro: 15/04

Nenhum comentário:

Postar um comentário